Projeto Adoção Segura do TJPR apresenta resultados da campanha em 2019

15 Jul 2019

Por: TJPR
Foto: TJPR

Justificativa: Grande número de adoções irregulares em Maringá/PR e região

Constatou-se a existência de grande número de adoções irregulares e verificou-se que ainda ocorrem casos de abandono de crianças recém-nascidas por mães em Maringá/PR e região.

Muitos pais que não querem ou não têm condições de cuidar de seus filhos, ao invés de entregarem os bebês ou as crianças na Vara da Infância e Juventude, abandonam os filhos ou os entregam a terceiros (vizinhos, padrinhos, colegas de trabalho etc), às vezes mediante pagamento ou promessa de recompensa.

Várias pessoas que querem adotar, ao invés de procurarem a Vara da Infância e Juventude e requererem sua habilitação para adoção, preferem buscar pais em situação de vulnerabilidade que não querem ou não têm condições de cuidar de seus filhos. Em seguida, em total afronta à legislação de regência, essas pessoas passam a cuidar de crianças e adolescentes, de forma irregular, e posteriormente ajuízam ações de adoção perante Vara da Infância e Juventude para homologar situações de fato já consolidadas.

Tais condutas geram grandes riscos para as crianças e adolescentes, uma vez que as pessoas que os recebem não são acompanhadas pela Vara da Infância e Juventude, não se sabendo em que condições as crianças e adolescentes estão sendo criados e se estão bem cuidados. Há também risco de os pais, a qualquer momento, se arrependerem e exigirem as crianças e adolescentes de volta, o que certamente é prejudicial aos infantes e aos jovens, que podem se tornar objeto de batalha judicial. Finalmente, os prejuízos para os casais regularmente habilitados para adoção em Maringá/PR são claros, uma vez que as adoções irregulares reduzem o número de crianças e adolescentes disponíveis para adoção e aumenta o prazo de espera das pessoas regularmente habilitadas para adotar.

Objetivo Geral do Projeto: criação da cultura da adoção segura

O objetivo geral do projeto Adoção Segura é criar e difundir em Maringá/PR e região a cultura da adoção segura, que é aquela feita pelo Poder Judiciário, observando as regras previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Objetivos Específicos do Projeto: orientar, informar e conscientizar

Orientar técnicos que trabalham na Rede de Proteção (CREAS, CRAS, Hospitais Públicos, Postos de Saúde, entidades de acolhimento, CAPS, Conselhos Tutelares etc) sobre a legalidade da entrega voluntária para adoção e como devem atuar diante de atendimento de casos em que os pais manifestam o desejo de entregar o(a) filho(a) para adoção;

Informar aos pais que é possível e está prevista em lei a entrega voluntária de filho para adoção na Vara da Infância e Juventude e orientá-los acerca do procedimento a ser adotado, esclarecendo que não constitui crime a entrega e não há nenhum tipo de responsabilização dos pais; e

Conscientizar as pessoas que têm interesse em adotar quanto ao procedimento previsto em lei para a adoção e sobre a importância de ser rigorosamente observada a legislação de regência da matéria.

Metodologia

Foram elaborados, em parceria com alunos de empresa júnior de comunicação social de faculdade sediada em Maringá, materiais para divulgação de informações sobre adoção e entrega voluntária para adoção: outdoors, busdoors, folders, cartazes, adesivos, camisetas e Fanpage no Facebook;

Foi realizado grande evento de lançamento do projeto, no dia 10.10.2016, às 13h30, no salão do Tribunal do Júri do Fórum de Maringá, com o objetivo de criar a cultura da adoção segura em Maringá e região.

Houve exposição acerca dos dados estatísticos relacionados às adoções em Maringá e foram passadas informações acerca do procedimento de entrega de crianças e adolescentes para adoção pelos pais assim como sobre a adoção, nos termos do Estatuto da Criança e do Adolescente. Também foram expostos no evento os riscos das adoções irregulares, as medidas cabíveis para prevenir e reprimir sua ocorrência e como devem proceder aqueles que integram a Rede de Proteção diante de notícias acerca de adoções irregulares ou possíveis entregas de crianças para adoção.

Durante o evento, foram transmitidos conhecimentos aos presentes para orientar suas atuações na rede e permitir a multiplicação das informações em todos os órgãos e entidades, com o fim último de criar a cultura da adoção segura em Maringá.

Foram expostos, à época do lançamento do evento, 20 (vinte) outdoors da campanha e estavam em circulação na cidade 20 (vinte) ônibus com busdoors da campanha. Ao final do evento, todos os presentes levaram um kit contendo cartazes e folders da campanha, a serem afixados em seus locais de trabalho e distribuídos aos interessados.

Estiveram presentes no evento 236 (duzentas e trinta e seis) pessoas que atuam na Rede de Proteção à Infância e à Juventude, incluindo Secretários Municipais, representantes da Ordem dos Advogados do Brasil e da Defensoria Pública do Estado do Paraná, além de membros dos Conselhos Tutelares, da Delegacia da Mulher e da Delegacia da Criança, gestores das Secretarias Municipais de Educação, Saúde e Assistência Social, servidores de Unidades Básicas de Saúde, CAPS, CRAS, CREAS, do Núcleo Regional de Educação e do

Centro Socioeducativo de Maringá. Também estavam presentes membros de instituições de ensino superior, hospitais públicos e particulares, entidades de acolhimento e das empresas patrocinadoras da campanha. Houve grande repercussão na mídia, com divulgação de informações relevantes sobre o tema a toda a sociedade.

Desde o lançamento do projeto, estão sendo realizados, de forma contínua, eventos informativos, encontros com públicos específicos (agentes comunitários de saúde, médicos e funcionários de maternidades, professores, líderes religiosos, entidades filantrópicas etc) e concessão de entrevistas, a fim de reforçar as informações apresentadas no evento de lançamento, entregar materiais informativos, dissipar dúvidas e consolidar a cultura da adoção segura em Maringá/PR e região.

Já foram realizados eventos em todas as maternidades públicas de Maringá, com a presença de atendentes, técnicos de enfermagem, enfermeiros, médicos e funcionários dos setores de serviço social e psicologia, com o objetivo de consolidar o conhecimento acerca da entrega voluntária para adoção e quanto à adoção, esclarecendo sobre as condutas a serem tomadas.

Evento na Santa Casa de Maringá: dia 02.12.2016;

Evento no Hospital Universitário de Maringá: dia 06.10.2017;

http://www.hospitalparana.com.br/informativodetalhe/57/adocao_segura.html

Evento no Hospital Paraná: dia 14.06.2018;

Evento com membros de igrejas e clubes de serviços: 12.09.2018;

Entrevista Programa Rose Leonel: 20.10.2018;

Entrevista na Rádio Colmeia de Maringá: 02.04.2019;

Evento na Santa Casa de Maringá: 09.05.2019;

Evento no Hospital Universitário de Maringá: 17.06.2019; e

Em agosto de 2019, está programado evento informativo no curso de formação dos agentes da Pastoral Familiar e dos líderes da Pastoral da Criança, promovido pela Arquidiocese de Maringá.

Resultados do projeto até o momento

Percebeu-se, desde o lançamento do projeto, incremento dos números de entregas voluntárias para adoção e de adoções regulares por ano em Maringá/PR, conforme demonstrado a seguir:

 

 

Entregas Voluntárias para

Adoção/Ano

 

 2014

1 entrega

2015

8 entregas

2016

13 entregas

2017

9 entregas

2018

7 entregas

2019

3 entregas (até o momento)

 

Adoções Regulares/Ano

2014

1 criança

2015

9 crianças e adolescentes

2016

24 crianças e adolescentes adotados

2017

11 crianças e adolescentes adotados

2018

16 crianças e adolescentes adotados

2019

9 crianças e adolescentes adotados (até o momento)