Mais oito adolescentes ingressam no projeto "Novos Rumos" e começam a atuar no TJAM como menores aprendizes

18 Jul 2019

Por: TJAM
Foto: TJAM

A iniciativa faz parte da parceria firmada entre o Tribunal, por meio da Vara de Execução de Medidas Socioeducativas, e o CIEE.

Mais oito adolescentes contratados por empresas privadas dentro da chamada Cota Social começaram a atuar nesta quarta-feira (17) no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) na condição de menores aprendizes. Eles integram o projeto “Novos Rumos”, implantado pela Vara de Execução de Medidas Socioeducativas (VEMS), por meio de parceria com o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE). O objetivo do projeto é auxiliar na formação de jovens em situação de vulnerabilidade social e contribuir com a resssocialização daqueles que vêm cumprindo medidas socioeducativas.

Titular da Vara de Execução de Medidas Socioeducativas, o juiz Luís Cláudio Chaves recepcionou os oito adolescentes na manhã desta quarta e destacou a importância da iniciativa para a formação de todos eles. “Já está comprovado estatisticamente que o trabalho e a educação são fundamentais no processo de redirecionamento das pessoas em geral e que exercem um papel maior em relação aos adolescentes, porque são pessoas em formação. Então, é fundamental que o Tribunal participe desse esforço, formulando essa politica de oportunidades a estes jovens, até como forma de exemplo para a sociedade”, afirmou o magistrado.Os jovens receberam capacitação pelo CIEE e exercerão suas atividades práticas no TJAM atuando em tarefas administrativas em diversos setores. O objetivo da capacitação é mostrar como é o funcionamento do Tribunal, qual a função do Judiciário, além de noções de profissionalização e relacionamento interpessoal no trabalho.

"Esse projeto é uma grande oportunidade para os adolescentes que desejam trabalhar, e sempre dou conselho para que eles, nesse processo de aprendizagem, mostrem interresse, procurem perguntar, porque cada pergunta gera um aprendizado que levarão para a vida toda”, disse a diretora de secretaria da VEMS, Alice Gioia.

A estudante Mariana Saavedra, de 14 anos, integrante do grupo de adolescentes que ingressou no TJAM nesta quarta como menor aprendiz, falou de suas expectativas: “Na capacitação inicial nós aprendemos muito, aprendemos como agir no trabalho e tiramos nossas dúvidas. Agora, iremos pôr em prática tudo o que aprendemos. Tenho uma expectativa muito grande e espero, junto com os meus colegas, aprender muito e levar esse aprendizado para o futuro”.

Os oito adolescentes vão desenvolver suas atividades na Divisão de Serviço Social; no Setor de Ajuizamento; no Setor de Protocolo; na Vara de Execuções de Medidas e Penas Alternativas (Vemepa) e na Coordenadoria de Infância e Juventude (COIJ). A assessora do juiz titular da VEMS, Sabrina Almeida, ressalta que o projeto almeja ajudar na ressocialização de jovens e que é importante a adesão dos demais setores do Tribunal. “Nossas expectativas são muitas. Em relação aos adolescentes, é que percebam a grande oportunidade que estão tendo de aprender e conhecer novas pessoas. E temos expectativas em relação aos outros setores do Tribunal para que vejam a importância do projeto e que abracem essa causa, que abram suas portas para ensinar e conhecer essas pessoas que estão ávidas pela primeira oportunidade de trabalho”, afirmou Sabrina.

Participaram da acolhida e da entrega dos crachás dos oito adolescentes, a diretora da secretaria da Vara, Alice Gioia; a assistente social, Ester Valois; a psicóloga, Karen Bentes, e assessora do juiz titular da Vara, Sabrina Almeida.